CONEXÃO PASSIRA: NOVO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL É APRESENTADO EM FÓRUM DE ENTIDADES DE PLANEJAMENTO E PESQUISA.

Radio

sexta-feira, 21 de abril de 2017

NOVO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL É APRESENTADO EM FÓRUM DE ENTIDADES DE PLANEJAMENTO E PESQUISA.

O presidente da Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco – Condepe/Fidem, Maurílio Lima, representou Pernambuco no 5° Fórum de Presidentes e Dirigentes da Associação Nacional das Instituições de Planejamento, Pesquisa e Estatística (Anipes). O evento ocorreu na sede do Conselho Federal de Economia – Cofecon, em Brasília, nos últimos dias 17 e 18. No local, houve a realização de palestras e a divulgação do Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM) da entidade, que tem a finalidade de caracterizar os municípios brasileiros no que se refere ao desenvolvimento municipal, por meio de indicadores sensíveis a variações de curto prazo. O indicador está estruturado em três dimensões, que mostram as condições atuais dos 5.565 municípios brasileiros em termos de renda, saúde e escolaridade.

Participaram do encontro representantes de 14 instituições de planejamento e pesquisa que integram a Anipes e também do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O objetivo foi o de promover a troca de informações sobre as atividades que estão em andamento em cada uma delas e também, elaborar um plano de trabalho para as próximas ações em comum. Na ocasião, os dirigentes puderam traçar um diagnóstico da realidade vivida pelos produtores de informações estatísticas no País.

No primeiro dia do evento, a representante do IBGE, Leila Ervatti, debateu com os dirigentes das demais organizações as diversas atividades que os órgãos têm em parceria com o instituto nacional. No segundo dia, técnicos da Secretaria de Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (STI/MP) apresentaram detalhes da ação Infraestrutura Nacional de Dados Abertos.

Estiveram presentes representantes da Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (SAGI/MDS), do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc); Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (CEPRO-PI); Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag-AL); Superintendência de Estudos Econômicos (SEI-BA); Fundação João Pinheiro (FJP-MG); Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN-ES); Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade-SP); Instituto Municipal de Administração Pública (IMAP-PR); Instituto Mauro Borges (IMB-GO); Instituto Brasiliense de Estudos da Economia Regional (IBRASE-DF), do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan-DF).

IDM – Maurílio Lima conta que foi um longo
processo até se chegar à metodologia do IDM Anipes que cobrisse todos os municípios brasileiros. “Os trabalhos foram iniciados em 2012, quando eu estava na presidência da entidade nacional”, afirmou. Desde então foram realizadas diversas ações desde a criação de uma comissão, que constituiu um comitê técnico com representantes dos estados através de instituições, até a realização de workshops para conhecer as diversas metodologias dos indicadores desenvolvidos pelas instituições filiadas, sob a coordenação da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade-SP).

O objetivo do IDM Anipes é diagnosticar e comparar a atuação dos municípios, bem como avaliar os resultados e subsidiar o planejamento das ações dos governos. “O trabalho, mais do que apresentar números, torna-se um importante instrumento para nortear e avaliar as políticas públicas a fim de responder às demandas da sociedade, considerando os diferentes contextos”, explica o gestor da Condepe/Fidem. O calculo do índice será feito a cada dois anos. 

O IDM é estruturado em três dimensões em termos de renda, saúde e escolaridade. Na riqueza municipal (total de seis variáveis) estão o PIB municipal per capita, a renda trienal média, entre outras. Já na saúde (seis variáveis), as taxas de mortalidade infantil, taxas de mortalidade das pessoas de 15 a 39 anos, proporção de nascidos vivos de mães que realizaram sete ou mais consultas pré-natal, cobertura vacinal tetra/pentavalente, entre outros. Quatro variáveis compõe a Educação,  as taxas de atendimento escolar na faixa etária de 4 a 5 anos, média de proporção de alunos da rede pública que atingiram o nível adequado nas provas de português e matemática (9º ano do EF), entre outras. “Deve haver um esforço constante de aprimoramento metodológico para que o IDM- Anipes venha a caracterizar com maior fidedignidade possível o desenvolvimento dos municípios brasileiros nas importantes áreas analisadas”, finaliza Maurílio Lima.

Fonte  :  Assessoria de Comunicação e Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário