CONEXÃO PASSIRA: 22 de Outubro de 2011

Radio

sábado, 22 de outubro de 2011

AUTÔNOMO MORRE EM ACIDENTE COM MOTO EM CARUARU.

Um casal que voltava do trabalho sofreu um acidente grave no final da tarde desta sexta-feira (22) na via local do distrito industrial em Caruaru. O autônomo JOSÉ CARLOS ALVES DE LIMA, 29 anos, guiava uma moto, com a esposa ERIVÂNIA DE OLIVEIRA, 28 anos, na garupa. O condutor trafegava pela via local, voltando para a Vila Peladas, zona rural de Caruaru, quando passava pelo cruzamento foi surpreendido com um caminhão baú de placa não anotada, que invadiu a via local que era a preferencial do motoqueiro, que ao tentar evitar uma colisão com a carro perdeu o controle

POLÍCIA CIVIL APREENDE CRACK E ESPINGARDA 12 DE REPETIÇÃO NA RUA DA LATA EM CARUARU.

A operação crack, equipe composta pelos policiais civis,Comissário José Carlos Lima, Comissário Ronaldo Firmo e agente Alan Zovka, estourou uma boca de fumo na favela da Rua da Lata, no bairro São João da Escócia. Quatro menores foram apreendidos e foi preso. PEDRO HERNAN DE ARAÚJO MONTESSENOS, 26 anos a droga, 42 pedras de crack e uma espingarda calibre 12 de repetição com 12 cartuchos foram encontradas em um matagal por trás da casa do imputado que já

PRESA EM CARUARU ESTELIONATÁRIA ACUSADA DE COMANDAR QUADRILHA ESPECIALIZADA EM FALSO SEQUESTRO.


Lucicleide negou as acusações
Numa ação conjunta das polícias Civil e Militar, foi presa nesta sexta-feira (21) em Caruaru, LUCICLEIDE COSTA MARTINS CRUZ, 37 anos, ela estava foragida da justiça, na última terça-feira (18) foram presas as irmãs CLEIDE MARIA SILVA COSTA, 56 anos e CREUZA MARIA DE ARAÚJO, 53, mãe e tia de LUCICLEIDE respectivamente. Elas são acusadas de fazer parte de uma quadrilha especializada em aplicar o golpe do ‘falso sequestro’. De acordo com o delegado Thiago Uchôa, titular da 1ª DP, que está á frente das investigações, a quadrilha

PRESO EM CARUARU TORCEDOR DO SPORT QUE MATOU NO RECIFE TORCEDOR DO SANTA CRUZ.



Márcio Farias, Santos Silva e Moreira
A GE Caça Homicida - 02, composta por Santos Silva, Márcio Farias e Moreira prendeu na Vila do Aeroporto em Caruaru. MURILO COSTA DA HORA JUNIOR, 31 anos, que estava residindo na comunidade, ao ser abordado pelos policiais militares, foi constatado que havia um mandado de prisão contra elea pelo fato dele ter assassinado um torcedor do Santa Cruz numa briga de torcidas no bairro da Macaxeira no Recife, fato ocorrido em 2010. Ele foi encaminhado ao presídio local.

POLÍCIA CIVIL PRENDE ESTELIONATÁRIA COM DOCUMENTOS FALSOS EM CARUARU.



O delegado Thiago Uchôa titular da 1ª DP comandou uma operação que resultou na prisão de JAQUELINE MARIA NASCIMENTO DA SILVA, 24 anos, que é natural de Santa Cruz do Capibaribe e mora na rua Santa Izabel, Caiucá, Caruaru. Ela vinha sendo investigada há alguns dias pelo fato de dar entrada a três pedidos de RG no Expresso Cidadão em Caruaru, o que chamou a atenção foi o fato dos documentos constarem apenas o primeiro nome da acusada, os policiais montaram campana e quando ela foi buscar os documentos foi presa em flagrante. Com ela foram apreendidos cerca de 20 cartões de créditos, documentos falsos e uma moto que ela adquiriu com os documentos falsos. A imputada foi autuada em flagrante por falsidade ideológica, falsificação de documentos públicos e estelionato,

PREFEITURA DE GRAVATÁ OMITE À UNIÃO UMA DÍVIDA DE PRECATÓRIO DO MUNICÍPIO. Ozano Brito é alvo de uma ação.



Ocultando informações de uma dívida milionária, e que se arrasta há mais de 15 anos na Justiça, o prefeito de Gravatá, Ozano Brito (PSD), é alvo de uma ação no Ministério Público Federal (MPF), pelo crime de falsidade ideológica. Há dois anos, a gestão do pessedista insere dados falsos no Sistema de Informações da Secretaria do Tesouro Nacional (SISTN) quanto ao saldo da dívidas dos precatórios. No entanto, desde 1996, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) ordenou que o município liquidasse o débito, referente a um ação de desapropriação iniciada em 1978.

O precatório, de número 0004234-01.22.1996.8.17.0000 (9900049-4), foi expedido pelo TJPE em 1996, que imediatamente ordenou incluir a dívida de R$ 7.033.746,84 - calculada em 1995 - no orçamento do município para o exercício de 1997. Porém, de 1998 a 2011, a família de Manoel Antônio de Souza, dono do terreno e já falecido, nunca viu a cor do dinheiro, segundo o advogado que representa os credores, Rômulo Lins de Araújo. Isso porque a dívida judicial foi omitida dos orçamentos e demonstrativos contábeis do município.

No último relatório de gestão fiscal da Prefeitura de Gravatá emitido ao Tesouro Nacional, relativo a setembro de 2010 a agosto de 2011, a qual o Blog da Folha teve acesso, o município omite dívida ativa dos precatórios. Não há informação de débito anterior ou posterior ao ano de 2000. O documento é assinado pelo prefeito Ozano Brito e também pelo secretário de Finanças de Gravatá, Josemir Martins da Silva, e o contador do município, Daniel de Freitas Barbosa.

"Desde que o prefeito Ozano Brito assumiu a gestão, o valor do precatório nunca foi pago à família. No entanto, ao remeter as informações das finanças do município ao Tesouro Nacional, a prefeitura omite os dados em relação as dívidas do precatório anterior à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). No ato de desapropriação, em 1978, a prefeitura se apossou do terreno, mas não tem a escritura do espaço, porque o juíz não deu", disse Rômulo Lins.

O advogado afirmou que o Tribunal de Justiça tentou fazer acordo entre a prefeitura e a família, porém a medição não reparou o problema. Em janeiro, por exemplo, o TJPE fez uma audiência onde o município apresentou uma proposta de R$ 3 milhões para ser pago em 15 anos.

"Eles ofereceram uma proposta irrisória. A família espera há mais de 30 anos para ser ressarcida e a prefeitura oferece uma proposta para pagar o débito bem abaixo do valor, em 15 anos. Vale ressaltar que o titular da ação já morreu, e deixou sete filhos, sendo que cinco deles também faleceram. Os dois que vivem, um tem mais de 80 anos e o outro está com uma grave doença. Os netos são quem estão tocando a ação contra o município", frisou Rômulo Lins.

Além do MPF, a família impetrou uma denúncia no Tribunal de Contas do Estado (TCE), no último dia 4, para que a corte audite a prestação de contas do município. Se caso condenado pelo crime, o prefeito pode ser condenado a 12 anos de reclusão.